sábado, 6 de setembro de 2014

Cássia Eller



minha alma levinha,
mas chorosa,
mais contente...

o sorriso
menininha
do rapaz valente...

quanta alegria!

revê-la personagem
nessa intensa saudade
que se cumpriu em nós...

quanta alegria!

apanhá-la pelos ouvidos
dançando em meus olhos
meu corpo suando...

quanta alegria!

me eternizar na
eternidade da sua música
pra chorar gratidão e vontade...

quanta alegria!

o excesso da sua presença
minha falta de paciência
para esse mundo tão careta...

silencio...

e navego a mim mesmo
nos reflexos dos seus
testemunhos.

venço muro
transito o oco
a cara gata extraordinária;

viajo

entre signos clariceanos
e clamo:

todos os sons
todos os versos
que ouvi e li

em sua voz rasgada.

sábado, 30 de agosto de 2014

olho cego cheio de luz



todo tempo perto de mim
traços do que mais me vejo
na vontade profunda de mu -
dança a cantar
belezas que me elevam.

olho cego cheio de luz
nem o poeta me alcança
deveras samba sem efeito
o amor, este amor, aquele amor
tudo passageiro:

a menina sem trança
me olha e ri
panorama da falta
poética e solidão...

a menina dança
civilizações sobre mim

mas me sou todo selvagem,

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

***

o nome me silencia

frente aos olhos que me queimam...

aspiro o toque da boca

ora calada ora acesa

de verdades sensuais...

sinto das mãos

que me seguram

deslize delícia passeio:

meu beijo no umbigo

quando fica tudo

pronto para então.

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

***


no fundo,
para não me afogar em hipocrisias,
tenho viajado em superfícies.

terça-feira, 29 de julho de 2014

navegante

É dessa minha condição de corsário, voraz amante do mar, que me apronto todo em muitas idas e vindas, arranjando sonhos, desconversando, banhando-me, fazendo silêncio, gritando, navegando do meu jeito, quase sereia, chorando, mas muita alegria, quando saio, no sentido da felicidade.

quinta-feira, 17 de julho de 2014

do que não houve

queria que fosse bem tarde... bem desgaste do tempo negando. fosse maior que a dura saudade e sem retorno do sol... fosse inteira vida em segundos e acabasse sem a ideia de acabar. fosse: intervalos entre a falta de sorte...dois corpos bem separados localizados no exíguo espaço do desencontro...falta de nome e falta de transporte...o medo matando... todo o tempo do que não houve.

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Amor sempre

É melhor amar, gostar, querer bem... Isso de amor revela o mais prazeroso sentido da vida; os sentimentos contrários mobilizam, mas desgastam... Quem aprende amar, aprende a se defender com ternura e alegria.

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Da síntese

O verdadeiro lance é que eu continuo um grande sonhador, cheio de tarefas para cumprir e ideais de beleza para realizar!

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Do alheamento



Para ver...
e ter...
no alheamento
de mim mesmo

fazendo sentido
sem esconderijo

como tem que ser
entre águas e matas

tão perto daqui.

Oração do dia



Que eu seja livre o suficiente para não fazer sentido.

Que eu tome conta de mim certo de que comigo sempre contarei.

Que eu tenha coragem para dizer não e hombridade para sempre agradecer.

Sabedoria para lidar com a maldade do outro e força para me apartar da minha. 


Discernimento, meu Deus, para escolher as companhias.

E ser como me escolhi para ser ao longo de 44 anos...

Que eu tenha alegria.

Que saiba do meu tamanho neste mundo.

E me comunique sem a ânsia do sucesso

E fora dos exageros de quem se rasga por celebridade.

Eu quero paz e sossegar no colo de alguém

Sem me tornar escravo de ninguém

E sem escravizar a quem eu amo.

De novo: que eu tenha coragem e assim,

Como aqui, eu exerça a minha comunicação

E me proteja da perversidade dos religiosos e dos ateus.

Que o amor que vinga no meu peito me seja norte

E eu tenha hora para concordar e hora para discordar.

Que seja eu inteiro e certeiro para realizar os sonhos

Que me convencem a estar nesta vida.

Entre Deus, Anjos e Orixás

E as Águas da Mãe e do Pai

Que sustentam minha existência.