quarta-feira, 15 de julho de 2015

Exposição Maria de Todos Nós




Parece que a gente está em outro tempo no Brasil. Num dia de brincadeira, festa da memória, pura alegria em festejar a trajetória de alguém que nos é diversão, nos é beleza, nos é reflexão, nos é verdade, nos é fantasia, nos é poesia. E mais: nos é escola.

No Rio de Janeiro, no Paço Imperial, de terça a domingo, sempre das 12 às 18 horas, gratuito, até dia 13 de setembro de 2015, exposição mais que linda: Maria de Todos Nós, em homenagem aos 50 anos do maior artista vivo do Brasil: Maria Bethânia.

Tenho um texto lá celebrando este momento. Honrado. Chamando Motriz para minha audição. Esta Maria é de todos nós, sim!

Obrigado a Ana Basbaum! Bravo , Bia Lessa.

Te  amo, Maria!

terça-feira, 14 de julho de 2015

Tese

O quanto de quentura
é a temperatura do meu estar
sob a neblina da nova cidade?

Por onde não me vejo
deve ser esse o instante
a me revelar.

As manhãs e as noites,
as tardes também,
têm me sido não.

Por esse intuito
eu não escrevo,
pergunto:

Para além do que não posso,
que tipo de poder me faz realizar?

em algum lugar

de algum lugar há de vir
o que realiza em mim
esta fome de sonhar.

***

que alguém me pergunte
e que eu seja rude
ao ponto de não respostar
o que aquele queria ouvir.

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Maria Bethânia, 69 anos!



Eu sei que é junho!



Sob o brilho do dia 18

Friozinho do Recôncavo

Numa manhã vermelha

Branca acesa do coração...

Junho rascante como trovoada

Paisagem aquática para os pés

Que flutuam...

Junho ensolarado tropical

Ao silêncio noturno de 69 luas

Ruas da melhor canção brasileira.

Dia da musa

Embalada pelo colo da Purificação.

Maria Bethânia, a voz de uma pessoa vitoriosa




"Quando ela aparece cantando gloriosa"

domingo, 24 de maio de 2015

O frescor




Eis a minha modernidade. O frescor exato entre a minha audição e a minha sensibilidade. Passos à frente na direção do que preciso e sonho encontrar. Eis o timbre que me afoga numa história, para qual eu emerjo a fim de contá-la em rabiscos emocionais.

Para ouvir. Da ousadia radical, uma pseudo repetência, aliada a ensinar O brasil a olhar para o Brasil - com o requinte da cantora que transborda sem perder o eixo e o sentido do que ela quer falar. Ou melhor, cantar.

Meus quintais - Maria Bethania

E amanhã farei poesia,



segunda-feira, 18 de maio de 2015

...

experimentei:
maior que o amor
é a lisa alegria.

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Laís



Não é pelo lance absurdo
Que guarda a beleza na face.

Mais seria pela poesia do olhar
Ou o sorriso que revela a alma.

No fundo ela é matéria da delicadeza
Burilada com a palavra sob a pena
De Manuel Bandeira...

E traz em si manhãs solares
Tardinhas Rosa chuvosas
E noites sensuais...

Toda acesa a sua cabeleira
Tigresa, mulher...

Corpo nu na mata
Que habita o sono
De quem sonha com ela!
Habita o sonho de quem
Acorda com ela.