sábado, 30 de agosto de 2014

olho cego cheio de luz



todo tempo perto de mim
traços do que mais me vejo
na vontade profunda de mu -
dança a cantar
belezas que me elevam.

olho cego cheio de luz
nem o poeta me alcança
deveras samba sem efeito
o amor, este amor, aquele amor
tudo passageiro:

a menina sem trança
me olha e ri
panorama da falta
poética e solidão...

a menina dança
civilizações sobre mim

mas me sou todo selvagem,

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

***

o nome me silencia

frente aos olhos que me queimam...

aspiro o toque da boca

ora calada ora acesa

de verdades sensuais...

sinto das mãos

que me seguram

deslize delícia passeio:

meu beijo no umbigo

quando fica tudo

pronto para então.

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

***


no fundo,
para não me afogar em hipocrisias,
tenho viajado em superfícies.

terça-feira, 29 de julho de 2014

navegante

É dessa minha condição de corsário, voraz amante do mar, que me apronto todo em muitas idas e vindas, arranjando sonhos, desconversando, banhando-me, fazendo silêncio, gritando, navegando do meu jeito, quase sereia, chorando, mas muita alegria, quando saio, no sentido da felicidade.

quinta-feira, 17 de julho de 2014

do que não houve

queria que fosse bem tarde... bem desgaste do tempo negando. fosse maior que a dura saudade e sem retorno do sol... fosse inteira vida em segundos e acabasse sem a ideia de acabar. fosse: intervalos entre a falta de sorte...dois corpos bem separados localizados no exíguo espaço do desencontro...falta de nome e falta de transporte...o medo matando... todo o tempo do que não houve.

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Amor sempre

É melhor amar, gostar, querer bem... Isso de amor revela o mais prazeroso sentido da vida; os sentimentos contrários mobilizam, mas desgastam... Quem aprende amar, aprende a se defender com ternura e alegria.

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Da síntese

O verdadeiro lance é que eu continuo um grande sonhador, cheio de tarefas para cumprir e ideais de beleza para realizar!

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Do alheamento



Para ver...
e ter...
no alheamento
de mim mesmo

fazendo sentido
sem esconderijo

como tem que ser
entre águas e matas

tão perto daqui.

Oração do dia



Que eu seja livre o suficiente para não fazer sentido.

Que eu tome conta de mim certo de que comigo sempre contarei.

Que eu tenha coragem para dizer não e hombridade para sempre agradecer.

Sabedoria para lidar com a maldade do outro e força para me apartar da minha. 


Discernimento, meu Deus, para escolher as companhias.

E ser como me escolhi para ser ao longo de 44 anos...

Que eu tenha alegria.

Que saiba do meu tamanho neste mundo.

E me comunique sem a ânsia do sucesso

E fora dos exageros de quem se rasga por celebridade.

Eu quero paz e sossegar no colo de alguém

Sem me tornar escravo de ninguém

E sem escravizar a quem eu amo.

De novo: que eu tenha coragem e assim,

Como aqui, eu exerça a minha comunicação

E me proteja da perversidade dos religiosos e dos ateus.

Que o amor que vinga no meu peito me seja norte

E eu tenha hora para concordar e hora para discordar.

Que seja eu inteiro e certeiro para realizar os sonhos

Que me convencem a estar nesta vida.

Entre Deus, Anjos e Orixás

E as Águas da Mãe e do Pai

Que sustentam minha existência.

frida kahlo



algo pra ser que deriva força faz pergunta pinta sol retalha afasta encerra mente chove vibra chora méxico fêmea gay bicho vulva resposta esperma coragem feio dança cursi arde lindo manis frieda novia flapper madonna homem história morre alta vive morte alegria partida kahlo.